Quanto mais cedo se iniciam os cuidados com a saúde, mais chances de se ter uma saúde com qualidade ao longo da vida.

Muitas crianças, por falta de conhecimento  ou tempo dos pais, só vão à consulta médica em decorrência de sintomas de doenças, passando muitas vezes alheias ao que se tem de mais importante nesta faixa da vida, que é a prevenção primária da saúde através de vacinações e orientações para hábitos de vida saudáveis. Tais questões podem ser resolvidas se os pais se preocuparem em levar seus filhos regularmente às consultas com o pediatra para avaliar seu crescimento e desenvolvimento. Pesquisas apontam uma tendência de substituição da consulta com o pediatra no consultório pelo atendimento hospitalar. Essa troca pode trazer riscos para a criança, pois as pesquisas também mostram que crianças que não vão ao pediatra regularmente até os três anos de idade correm duas vezes mais riscos de serem hospitalizadas, com as consequências decorrentes deste tipo de atendimento. As chances podem duplicar em caso de doenças crônicas, como asma, dor abdominal recorrente entre outras.
Isso acontece porque, por mais que a consulta hospitalar seja realizada adequadamente, seu objetivo é imediato e não há como o profissional conhecer a fundo o histórico da criança. Na consulta periódica ao pediatra as famílias têm muito mais oportunidades de fazer intervenções preventivas e de detectar problemas precocemente.
A função do pediatra, muito mais do que tratar a doença, é acompanhar o desenvolvimento da criança. Por isso, as consultas, em geral, são mais demoradas e servem para os pais tirarem dúvidas e receberem orientações sobre alimentação, sono, vacinas, prevenção de doenças e acidentes, educação dos filhos etc.
Diante disso, é muito importante escolher bem o médico que irá acompanhar seu filho pela vida afora. Não basta buscar qualquer profissional na rede credenciada. É preciso, através de uma boa conversa, encontrar alguém que se adapte ao perfil dos pais. Afinal, confiança e empatia são essenciais na relação médico-família.
A regularidade das consultas vai garantir que a criança se desenvolva da melhor maneira possível. Em meio a tantos compromissos do dia a dia, é preciso se organizar com antecedência para cumprir o calendário das consultas, reservando um tempo adequado para isso. O número de visitas ao pediatra será determinado por ele, diante da avaliação individual de cada caso, embora exista uma regra geral da Sociedade Brasileira de Pediatria, como pode ser visto na tabela abaixo:

Idade da criança Quantidade de consultas
5, 15 e 30 dias 3
2 aos 6 meses 1 vez por mês
A partir dos 7 meses 1 vez a cada 2 meses
A partir dos 2 anos 1 vez a cada 3 meses
A partir dos 6 anos 1 vez por semestre
Dos 7 aos 18/19 anos 1 vez por ano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?